Maria Eunice Maciel

[…] Da coroa de louros às coroas dos reis, da arte plumária dos indígenas aos bonés de times esportivos, dos arranjos de flores hippies aos chapéus de côco dos empregados da City, dos capacetes militares aos véus que encobrem e revelam, das toucas camponesas às cartolas – o que veste as cabeças chama a atenção de imediato, brinca com o olhar e joga com o pensamento, o imaginário e o sonho.
Próximo às cabeças, próximo à imaginação e à fantasia. Assim, não é à toa que Zoravia Bettiol tenha escolhido trabalhar justamente com headresses. O que nos traz? Traz o Brasil do sol, futebol, carnaval, orixás e Macunaíma. Traz sua vivência em San Francisco ao construir uma Golden Gate imaginária expressa numa Iemanjá californiana. Partindo para um outro tempo, visita os mitos gregos e traz a nós as Musas, Ulisses, Penélope e Telêmaco. Das questões sociais ao lúdico infantil, cria um caleidoscópio – vibrante e mutante – que sintetiza sua obra a qual, envolvendo fantasias, envolve beleza e realidades, com muita imaginação. O que passa pelas cabeças…

Maria Eunice Maciel
Catálogo Persona – Personagem, MARGS
Porto Alegre, 1998

VOLTA