Evelyn Berg Ioschpe

[…] Zoravia Bettiol, o ser político. Impossível pensar Zoravia sem esta dimensão, que nela é quase um atavismo, tão imbricada se encontra com sua condição de artista, de antena da raça. Em zoravia, a sensibilidade é, também, uma emoção indignada frente ao ecossistema que deteriora, sim, mas, mais de perto, frente aos descaminhos da cultura, luta de vida inteira.
[…] Zoravia não está mais em Porto Alegre, mas suas idéias ficaram. E germinaram. Foi viver em São Paulo e não demorou muito para embalar uma nova criatura: seu interesse pelo coletivo levou-a a idealizar, junto com o Centro Gaúcho de Tapeçaria Contemporâneo e o Centro Paulista de Tapeçaria, um Museu Têxtil. A idéia, que logo obteve adesão técnica do Sistema de Museus de São Paulo, vai tomando forma.

Evelyn Berg Ioschpe
Catálogo Informativo, Brasil Cultura 90, Galeria Mariza Soibelmann
Porto Alegre, 1990

VOLTA